GOVERNADOR João Azevêdo destaca importância do trabalho conjunto dos estados em Assembleia que formalizou o Consórcio Brasil Verde

João Azevêdo destacou o esforço conjunto dos estados para a elaboração de um plano de ação para enfrentar os desafios

Governador da Paraíba João Azevedo

O governador João Azevêdo participou, nesta terça-feira (2), da Assembleia Geral do Consórcio Brasil Verde, que aprovou o estatuto da entidade. A reunião virtual contou com a participação de governadores de todas as regiões do país e confirmou a Paraíba na coordenação do bioma caatinga.

Na ocasião, o governador João Azevêdo destacou que o esforço conjunto dos estados será fundamental para a elaboração de um plano de ação que visa enfrentar os desafios relativos ao tema. “A partir da Assembleia de hoje, o Consórcio passa a existir legalmente, podendo ter representação em qualquer processo de discussão, a exemplo da COP 28, em Dubai. A Paraíba ficou com a coordenação do bioma caatinga e faremos um trabalho conjunto, a várias mãos com os demais estados para avançarmos na pauta climática. O Nordeste tem um enorme potencial na geração de energias limpas e daremos uma grande contribuição na construção de um desenvolvimento sustentável”, frisou o gestor.

O presidente do Consórcio Brasil Verde e governador do Espírito Santo, Renato Casagrande, afirmou que a integração entre os estados por meio da entidade viabilizará a elaboração de um plano de ação eficaz. “Essa é uma forma de podermos compartilhar planos de trabalho e participar de fóruns nacionais e internacionais. O Brasil se consolida na produção de energia verde e vamos avançar na articulação com os consórcios estaduais, na construção de programas de mudanças climáticas e planos de neutralidade de carbono”, comentou.

O Consórcio Brasil Verde tem como objetivos formalizar parcerias e troca de experiências através do compartilhamento de boas práticas, promover ações coordenadas entre os estados, empresas e sociedade civil para enfrentar os desafios das mudanças climáticas e alcançar as metas do Acordo de Paris.

A união dos estados também visa reduzir as emissões de gases de efeito estufa, garantir proteção e conservação dos biomas brasileiros, realizar ações de valorização da biodiversidade e no desenvolvimento da economia verde, defender o combate ao desmatamento ilegal, promover práticas sustentáveis na agricultura e fortalecer políticas públicas para a preservação ambiental.

Além da Paraíba, que ficará responsável pelo bioma caatinga; o Paraná coordenará o bioma Mata Atlântica; São Paulo, o bioma cerrado; Mato Grosso do Sul, o bioma pantanal; Acre, o bioma amazônia; e Rio Grande do Sul, o bioma pampa.

Aristelson Silva com Assessoria

Facebook
Twitter
LinkedIn
WhatsApp

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *